Alimentação e exercício físico: o que o diabético deve saber?

Não adianta fazer uma dieta balanceada sem atividade física e nem uma atividade física sem uma dieta balanceada.

Rita de Cássia da Costa Venâncio *

Guilherme Veiga Guimarães **

Cada vez mais, estudos mostram a importância da atividade física em pacientes com doenças crônicas e degenerativas. Na diabetes, por exemplo, o exercício físico tem sua eficácia comprovada na melhora da capacidade funcional, no controle do peso corporal, na modulação dos níveis glicêmicos e na redução de outros fatores metabólicos de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Associado ao exercício, o diabético deve ter uma boa alimentação e a dieta é um dos melhores caminhos para reduzir os níveis glicêmicos, evitando o agravamento dessa doença. Para isso, devemos lembrar que ao iniciar a atividade física é preciso prestar atenção na alimentação, ingerindo frutas, fibras e ter sempre à mão alguma bala ou doce na hora do exercício para uma eventual hipoglicemia e aumentar o consumo de líquidos para manter a hidratação corporal.

Durante o exercício, é importante estar atento aos sintomas de baixa glicemia como tremores, palpitações, sudorese intensa, palidez e sensação de desmaio, pois já é comprovado que a prática de exercício físico aumenta a tolerância à glicose. Ao término da atividade, a musculatura continua captando glicose mais eficientemente, com o objetivo de recompor a glicose do fígado e a muscular, e recuperar o organismo, podendo ocorrer hipoglicemias até 48h após o término do exercício.

Em alguns pacientes a dose de insulina chega a ser reduzida, devido à prática regular de exercício físico. Após o exercício, deve-se realizar uma refeição, com sanduíche, barra de cereais e frutas, por exemplo, mesclando um pouco de carboidratos e proteínas (hipocalórica) para manter os níveis glicêmicos normais.

Os efeitos de treinamento na musculatura esquelética podem ser vistos com aumento da força e da capacidade física, representando, assim, uma contribuição significativa no controle da diabetes, bem como uma melhora na capacidade de trabalho.

Os potenciais benefícios da atividade física regular associada a uma alimentação balanceada em pacientes diabéticos promoverão maior controle e uma melhor qualidade de vida nesses pacientes. Assim, não adianta fazer uma dieta balanceada sem atividade física e nem uma atividade física sem uma dieta balanceada, nesse caso a união é que faz a diferença.

* Fisioterapeuta, Colaboradora no Laboratório de Atividade Física e Saúde (LAtiS – CEPEUSP)

** Educador Físico, Doutor em Ciências pela FMUSP, ex-Coordenador do Laboratório de Atividade Física e Saúde (LAtiS – CEPEUSP)

Acesse o Sistema CEPEUSP

Temperatura no Conjunto Aquático

20/10/2017
Água da Piscina

26°C

às 07:10 AM
Exame Dermatológico